Resultado do D&O no 1º semestre

O seguro D&O cresceu 47% no primeiro semestre. O volume de prêmio passou de meio bilhão de reais atingindo a marca de R$ 581,9 milhões.

Outro ponto positivo é a redução da sinistralidade. Aumentou o prêmio e o sinistro diminuiu. Esse é um ótimo indicador para uma carteira de seguros.

A respeito do ranking tivemos poucas mudanças. A Chubb ´permanece líder de mercado com 22% de market share (R$129,8 milhões).

A Tokio Marine saltou do 4º para o 2º lugar. Quadriplicou seu resultado (de R$30milhões no 1º semestre de 2020 para quase R$120milhões em 2021).

Na sequência Zurich caiu da 2º para a 3º posição, mas cresceu 21% em volume de prêmio passando dos R$100milhões..

AIG com R$80milhões em 4º lugar.

As 4 companhias representam 73% do total de mercado do seguro D&O. E as demais 18 dividem os 27% restantes do mercado.

Das 22 seguradoras apenas 3 tiveram redução na produção desse ramo: Fator perdeu 16% (de R$26 para R$22milhões); Axa XL com redução de R$3,6 milhões de prêmio e Safra que emitiu R$1,2milhão no 1º semestre de 2020 e agora R$995mil.

O cenário é positivo. É um produto rentável para as seguradoras. O mercado já conhece os riscos. A maioria das seguradoras sabe precificar, subscrever e entende quais são os tipos de sinistros que podem acontecer.

Para o corretor é uma excelente oportunidade de negócio. Além da comissão do próprio seguro D&O que é em média R$2mil é uma ótima forma de fidelizar e estreitar o relacionamento com os clientes.

O D&O blinda o relacionamento comercial com o segurado, fortalece a confiança na consultoria do corretor e o cliente reconhece que não se trata de mais um corretor de seguros e sim um gestor de riscos de responsabilidade.

Deixe uma resposta